www.radartutorial.eu www.radartutorial.eu Noções básicas de radar

SC-2

Descrição do conjunto de radares, características técnico-táticas

Figura 1: Radar SC-2 no navio de guerra americano Niobrara (AO-72).

Figura 1: Radar SC-2 no navio de guerra americano Niobrara (AO-72).

Especificações Técnicas
SC, SC-1SC-2, SC-3
Banda da frequência: 220 MHz
(bande VHF)
200 MHz
(bande VHF)
Intervalo de repetição
de pulsos (PRT):
Freqüência de repetição
de impulsos (PRF)
:
60 Hz
Largura de pulso (τ): 5 µs4 µs
Período de recepção:
Período de descanso:
Potência de pico: 100 kW200 kW
Potência média:
Alcance instrumentado: 30 mi
(≙ 48 km)
75 mi
(≙ 120 km)
Resolução da distância: 550 m460 m
Precisão: ±180 m, ±5° ±90 m, ±3°
Largura do feixe: 25°10°
Número de impulsos recebidos:
Velocidade de
rotação da antena:
(manually) 5 rpm
MTBCF:
MTTR:

SC-2

O SC foi um radar de reconhecimento norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial, que foi usado principalmente no Pacífico. Foi utilizado em navios de destruição e navios maiores para reconhecer aeronaves e navios e para orientar interceptores.

O radar SC original foi equipado com uma antena composta de quatro fileiras de três dipolos cada, dispostos em frente a um refletor de grade comum medindo 2,6 × 2,1 metros. O SC-2 usou duas fileiras de seis dipolos cada uma em frente a um refletor de 4,6 × 1,4 m. O radar SC era capaz de localizar um bombardeiro médio a uma altitude de 300 m de uma distância de 30 milhas náuticas (≙ 48 km). A partir do radar SC-1, esta distância foi aumentada para 75 milhas náuticas (≙ 120 km). A precisão da localização também melhorou consideravelmente nas versões seguintes. Os radares SC e SC-1 usaram apenas um escopo A, SC-2 e SC-3 também receberam um escopo PPI. Todas as versões trabalharam com uma bússola giroscópica para permitir uma visão do „norte verdadeiro“. A rotação das duas versões mais antigas ainda era feita com uma manivela manual.

A identificação do inimigo amigo foi possibilitada pela antena IFF localizada na parte superior da antena principal. O radar secundário utilizou a norma IFF Mark IV.

Galeria de fotos de SC

Figura 2: Radar SC